História do Município

A história da Barra do Rio Azul, localizada no Alto Uruguai, confunde-se com a história da própria antiga sede municipal, Aratiba, cuja colonização foi iniciada em 1917, quando a Companhia Luci Rosa demarcou toda região. Antes de chamar-se Aratiba, a ex-sede era denominada "Rio Novo".

O nome "Barra do Rio Azul" provém do fato de, no centro dessa cidade, ocorrer o encontro do Rio Azul com o Rio Paloma, assim denominada daí por diante, até encontrar o Rio Uruguai.

Os primeiros moradores foram Hetore Munaro, Josué Vazzatta, Querino Mazzochin, Antônio Pilatti, João Basso, Bernardo Basso, Ernesto Munaro, Antonio Munaro e Luiz Munaro.

A atual Escola de 1º Grau Completo Cardeal Leme constituiu a primeira escola de Barra do Rio Azul, construída em 1929, sendo seu primeiro professor o Sr. João Nuckirchen.

Em 1927 era erguida a primeira Capela (na qual o Frei Cyrillo Stock oficiou a primeira missa) e que, em 1938, veio a constituir a Paróquia Medianeira. Após uma reforma em 1988, essa Igreja se tornou uma atração turística, graças a sua arquitetura.

O primeiro hospital foi construído em 1942 sob orientação do Dr. Walter Pecoits, e adquirido sete anos mais tarde pelo Dr. Dario Wilfredo Waldivia Almanza. A primeira casa comercial data de 1928, com o nome "Comércio de Tecidos Detoni Ltda." e que funciona até hoje com a razão social, embora tenha ampliado suas atividades para a criação de suínos e caprinos de raça, tendo obtido diversos prêmios em exposições.

A cidade conta com o abastecimento de água proveniente de poço artesiano, clubes esportivos, culturais e beneficentes e duas repetidoras de televisão.

A composição étnica da população compreende 65% de italianos, 20% de alemães e 15% de grupos minoritários, entre poloneses, russos e outros.
A comunidade de Barra do Rio Azul pretende, com a emancipação, investir na agroindústria, gerando mais riquezas para as famílias da região, visando, em última análise, a melhoria da qualidade de vida do cidadão, sem destruir o meio ambiente.

Em 1914 a localidade de Barra do Rio Azul começou a receber os primeiros colonos de origem italiana. Entretanto, é a partir da década de 20 que o fluxo migratório se tornou mais intenso.

Até meados de 1950, Barra do Rio Azul foi um importante centro urbano, se comparado aos padrões de pequenas localidades do período. Dispunha de energia elétrica, possuía um comércio intenso e um grande e bem equipado hospital (fundado em 1949) que destinava-se, inclusive, ao atendimento da demanda das populações vizinhas.

Tornou-se distrito de Erechim pela Lei nº 121, em 23 de novembro de 1951. Em 1955, Aratiba foi elevada a município, emancipando-se de Erechim, e Barra do Rio Azul passou a ser distrito daquele município pela Lei Municipal nº 02, de 02 de janeiro de 1956.

Até os anos 50, Barra do Rio Azul disputava a economia da região com centros urbanos vizinhos como Aratiba, Itatiba do Sul e Barão do Cotegipe. Entretanto, a emancipação política dos referidos municípios, somada à exclusão de Barra do Rio Azul das principais rotas da região, comprometeu a dinâmica da sua economia, que atravessou um prolongado período de estagnação. Com a emancipação político-administrativa do distrito em 20/03/1992, esta situação tende a mudar.